| Objetivo

Formar profissionais especialistas com desenvolvimento de competências para a assistência, gerenciamento, pesquisa e educação em Enfermagem Oncológica e Cuidados Paliativos, nos diferentes níveis de complexidade e atenção à saúde.

| Público Alvo

Enfermeiros que já atuam em oncologia e/ou cuidado paliativo ou que pretendam ingressar nesta área.

| Justificativa

Os avanços tecnológicos na área da oncologia permitem o desenvolvimento de pesquisas que aumentam a sobrevida e promovem a manutenção e recuperação da qualidade de vida dos pacientes. No entanto, o câncer ainda aparece como a 2ª causa de morte no Brasil. Estima-se que em 2020 o número de casos novos anuais, no mundo, seja da ordem de 15 milhões, sendo que cerca de 60% desses novos casos ocorrerão em países em desenvolvimento. O câncer, hoje, é reconhecido como um problema de saúde pública, que requer uma abordagem especializada e tem como metas melhorar a qualidade de vida do paciente, reduzir a mortalidade e a incidência de novos casos (SANTOS, 2013). Em Santa Catarina os dados corroboram à situação Nacional e exigem ações no intuito de uma melhor abordagem a este problema. Estas ações se fundamentam em processos educacionais de formação. Cabe à Enfermagem acompanhar o desenvolvimento na área da oncologia pelas investigações científicas, que são os principais recursos na atualização do conhecimento para o cuidado ao paciente oncológico. 

No contexto do câncer, o enfermeiro atua em ações de prevenção e controle. Tem como competência prestar assistência a pacientes com câncer na avaliação diagnóstica, tratamento, reabilitação e atendimento aos familiares. Além dessas competências ele desenvolve ações educativas, ações integradas com outros profissionais, apoia medidas legislativas e identifica fatores de risco ocupacional, na prática da assistência ao paciente oncológico e sua família. Por isso, a pesquisa em Enfermagem Oncológica é essencial para gerar a base de conhecimento que fundamenta a prática clínica, além de poder identificar o impacto do câncer e do tratamento na vida de pacientes e familiares. A proposta desta formação distingue-se abrangendo estratégias educacionais em gestão, ensino e pesquisa na área de Cuidados Paliativos; aspectos específicos no atendimento às famílias; processos de comunicação e intermediação de conflitos; habilidade para trabalhar em equipe; atenção aos estressores ocupacionais e controle de sintomas, oportunizando uma visão integrada com foco na humanização e otimização técnica especializada do cuidado. Urge a necessidade do cuidar com dignidade das pessoas que estão com câncer, e isso pode ser alcançando através do processo educativo de especialização do profissional enfermeiro, com foco em cuidado paliativo. A Especialização em Enfermagem Oncológica e Cuidado Paliativo constitui-se em ensino de Pós-Graduação Lato Sensu, de acordo com os princípios da integralidade e da humanização, pressupostos fundamentais para a implementação da Política Nacional de Atenção Oncológica (PNAO). 

O curso de Especialização em Enfermagem Oncológica e Cuidados Paliativos proporciona condições que viabilizam o aprimoramento da assistência oncológica, com ênfase nas áreas de prevenção, diagnóstico precoce, tratamento oncológico, reabilitação, fundamentos da assistência de Enfermagem, manejo da dor e cuidados paliativos, abordando os aspectos bioéticos, legais e institucionais. Além disso, também oferece aos profissionais o reconhecimento das alterações clínicas mais predominantes, com enfoque na compreensão da fisiopatologia, das manifestações e dos métodos, diagnósticos e tratamento, assim como a assistência de Enfermagem aos pacientes oncológicos e em cuidado paliativo. Esta proposta de Especialização corrobora com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996, que aponta inovações e mudanças na educação nacional, propondo uma reestruturação e a adoção de diretrizes curriculares específicas para cada curso. Essa Lei fundamenta o processo de formação na educação superior por meio do desenvolvimento de competências e habilidades, do aperfeiçoamento cultural, técnico e científico do cidadão, da flexibilização dos currículos e implementação de projetos pedagógicos inovadores, bem como, assegura às instituições de ensino superior autonomia didático-científica. A proposta deste curso foi elaborada a partir das necessidades atuais do mercado de trabalho, com o conteúdo aprofundado, em sintonia com as inovações científicas e humanas da sociedade.

| Perfil do Formando

Profissional enfermeiro crítico-reflexivo, com base no rigor científico e intelectual, para atuar de forma integral e interdisciplinar na Atenção Oncológica (Atenção Básica, de Média e de Alta Complexidade) em diferentes modalidades: promoção da saúde, prevenção de agravos, rastreamento, detecção precoce, diagnóstico tratamento, reabilitação e cuidado paliativo. Traz no escopo de sua atuação os aspectos éticos, legais e humanísticos para a assistência, o ensino, a pesquisa e a gestão, considerando as características sociais, culturais, subjetivas, espirituais e epidemiológicas. As competências contempladas no perfil são: atenção à saúde; tomada de decisões; comunicação; liderança; administração e gerenciamento e educação permanente abordadas com vistas a desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes.

Professores do Curso

Conheça os professores do curso de Enfermagem Oncológica e Cuidados Paliativos

Amarildo Maçaneiro
Mestre

Enfermeiro, Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Membro do OLISCORP Instituto (Centro de Desenvolvimento Humano) Coordenador geral do serviço de cirurgia oncológica do CEPON (Centro de Pesquisas Oncológicas). Doutorando do curso de Gestão do cuidado de enfermagem

Claudia Cristina da Silva
Especialista

Especialista em Alta Complexidade Modalidade Residência Multiprofissional em Saúde pelo Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago HU/UFSC. Enfermeira do Ambulatório de Atendimento aos Adolescentes e Jovens Adultos - AJAS/Centro de Pesquisas Oncológicas de Santa Catarina - CEPON.

Fernanda Simon de Barcellos
Especialista

Enfermeira formada na Universidade Franciscana de Santa Maria/RS. Especialista em Terapia Intensiva, com ênfase em Oncologia e Infecção Hospitalar. Atuante no Transplante de Células Tronco Hematopoiética (TCTH) do CEPON.

Giovanna Paola Trescher
Mestra

Mestre em Gestão do Cuidado em Enfermagem pela UFSC; Especialização em Enfermagem no Cuidado à Família pela UFSC (2004). Coordenadora de Enfermagem do Ambulatório de Procedimentos no Centro de Pesquisas Oncológicas (CEPON). Coordenadora da Comissão Hospitalar Transplantes -CHT do CEPON.

Luiz Eduardo Toledo
Especialista

Especialista em Capelania Hospitalar Faculdade Teológica Batista do Paraná. Coordenador de espiritualidade da Associação Amigos do Hospital Universitário Homero Gomes (HU/UFSC) e Coordenador da Capelania Hospitalar do Centro de Pesquisas Oncológicas ¿ CEPON.

Mabel Villa Demétrio
Mestra

Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão do Cuidado em Enfermagem na UFSC. Atua como Enfermeira no Ambulatório de Procedimentos do Centro de Pesquisas Oncológicas (CEPON). Membro da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes -(CIHDOTT) do CEPON.

Maristela Jeci dos Santos
Mestre

Mestre em Enfermagem, com foco em Cuidados Paliativos, pela UFSC. Gerente de Enfermagem do Centro de Pesquisas Oncológicas (CEPON), da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Gestão do Cuidado em Enfermagem - UFSC.

Renata da Silva Machado da Silveira
Especialista

Especialista em Enfermagem Oncológica pela Faculdade Unyleya em 2020. Enfermeira graduada pela UFSC. Foi Coordenadora de Enfermagem da Unidade de Internação Oncologia Clínica/Cepon em 2012-2013. Há 7 anos é Enfermeira Assistencial da Central de Quimioterapia/Cepon.