Reorganização Curricular

Notícias

Reorganização Curricular

Data da publicação: 14/03/2019 09:08:49

Há 18 meses a equipe da Unidavi trabalha em uma nova modelagem para os projetos pedagógicos dos cursos de graduação. Daí é que entra a Reorganização Curricular, um momento importante para a Instituição, pois atenderá às mudanças no marco regulatório, à nova legislação e ao conjunto de competências que o profissional formado precisa ter. Foram necessários 21 grupos de trabalho, para que estudassem, pensassem esse novo modelo e trouxessem discussões em vários momentos e, no final de 2018, o modelo foi aprovado à luz dos conjuntos de normas, leis e diretrizes.



Para o Pró-reitor de Ensino, Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, Prof. M.e Charles Roberto Hasse, é a partir da conclusão dos trabalhos que se inicia uma nova etapa. "Essa nova etapa contempla revisitar todos os projetos pedagógicos, olhar para o mercado e para o cenário e perceber o que há de novo em cada uma das áreas do conhecimento", completa.

Os trabalhos referentes ao tema já estão agendados e serão ministrados pela Prof.ª Dr.ª Aparecida do Carmo Frigeri Berchior, com experiência no assunto. O evento é destinado para coordenadores dos cursos e núcleos docentes estruturantes. "A partir desse olhar e dessa discussão entre coordenador de curso, núcleo docente estruturante, egressos, alunos e professores, se busca sintetizar e sistematizar todo esse conjunto de demandas e necessidades para responder às perguntas: qual é o perfil do profissional formado?, qual é o conjunto de conhecimentos, habilidades e competências que esse profissional formado tem que ter?", enfatiza Prof.ª Aparecida.

A partir desta análise, olha-se para o projeto pedagógico do curso como um desenho curricular. "Em cada uma das unidades curriculares, é necessário fazer a análise e verificar para além dos conteúdos que vão ser trabalhados, qual é o conjunto de competências que a mesma vai ajudar o aluno a desenvolver. Na etapa seguinte, a que ocorre em sala de aula, ou seja, de aplicação do currículo, o professor precisa estar atento às evidências de que o nosso desenho curricular é exitoso", ressalta a Assessora Pedagógica Prof.ª M.ª Fernanda Souza.  

Para ela, isso vai remeter a uma reflexão, não só da gestão do curso, a cada um dos professores, onde o objetivo segue para muito além de um número de encontros, ou da carga de conteúdo, ele evidenciará o desenvolvimento das competências que aquela unidade curricular se propõe a viabilizar durante a aprendizagem do aluno. "Quando temos uma matriz de referência de competências do curso, pautada nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), as unidades curriculares passam a servir ao processo de desenvolvimento de competências que ocorre durante o percurso formativo do aluno. Esse processo precisa envolver conhecimentos, habilidades e atitudes", complementa.  

Mudança na Metodologia

O professor precisa produzir este indicador de competências. "Não é possível ele evidenciar que o aluno desenvolveu ou adquiriu essas ou aquelas competências se ele não mudar, em alguma medida, as suas práticas. Muitos já adotam metodologias mais interativas, mais participativas com o aluno, mas certamente, todos eles, em alguma dimensão, vão ter que rever a forma de lecionar, de interagir com o aluno e, principalmente, de receber um feedback. Porque acho que com o retorno desse feedback nós vamos criar a evidência para dar conta dos novos instrumentos de avaliação de que o aluno aprendeu, que ele consegue fazer", ressalta Prof. Charles.

Entretanto, Prof.ª Fernanda complementa que é preciso respeitar o tempo do professor, envolve-lo na construção do desenho curricular do curso, desde as discussões das concepções sobre ensino, aprendizagem, avaliação e competências até a produção e registro de evidências do processo de ensino e de aprendizagem. "O professor só muda se, ao refletir sobre a sua própria prática, percebe que existe a necessidade de mudar. Outro ponto importante a ressaltar é que para mudar a nossa prática é preciso ressignificar as nossas concepções, e nesse sentido os professores e a equipe Proen precisarão encarar o desafio de mudar juntos", explana.

Isso serve para todas as disciplinas, nenhuma delas é excluída, nem as práticas, estágios, nada. "Nós iniciamos com a capacitação dos nossos docentes do que seriam esses novos currículos, esse alinhamento do ementário dos mais diversos cursos, áreas, disciplinas ou unidades que tenham conteúdo comum", enfatiza Prof.Charles.

Logo acontece a capacitação para o pessoal poder se inserir nesse processo de discussão e do desenvolvimento dos novos projetos pedagógicos, olhando toda essa condição contextual de mercado, cenário e voltando para o projeto pedagógico do curso. "No segundo momento ele se dá na medida que o professor tem que se apropriar do projeto pedagógico do curso, da sua unidade curricular e quais são as competências que o aluno tem que desenvolver naquele momento", esclarece Prof. Charles.

Como o professor vai dar conta disso? Ele vai ter que discutir com seus pares como ele vai fazer para que o aluno se aproprie de um conjunto de conhecimentos, de habilidades e também de atitudes, para conseguir atingir as competências necessárias na disciplina.

A Unidavi já tem investido ao longo dos anos muito forte no seu quadro docente, não só em programas de mestrado e doutorado, mas também em cursos de formação continuada. "Nós investimos em novas metodologias, não que as que ele já usa vão ser subutilizadas ou deixarão de existir, não, mas a ideia é que ele se aproprie de novas metodologias, se aproprie desse novo perfil de alunos que nós temos hoje, que ele conheça novas tecnologias e a partir deste conhecimento, do perfil da turma, do perfil da disciplina que ele vai estar ministrando naquele momento, e do curso, ele vai olhar qual é o melhor recurso tecnológico que ele vai poder usar para aquele conteúdo e qual é a melhor metodologia que ele também vai utilizar para desenvolver aquele conjunto de competências que ele tem que conduzir como resultado final", finaliza Prof. Charles.        


"Com a sua colaboração e estando acessível às mudanças, 

vamos potencializar os resultados. Sua parceria é nossa maior riqueza!"

Cronograma:


Dia 14 de março: das 8h30min às 11h30min e das 13h às 16h.

Grupo A - NDEs e Coordenações dos cursos de: Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Design de Interiores, Design de Moda, Produção Multimídia, Sistemas de Informação e Reitoria.


Dia 14 de março: das 16h30min às 18h30min.

Grupo Enade - NDEs dos cursos que farão Enade em 2019 (Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Educação Física - bacharelado), Comissão Permanente do Enade (Coppe) e Comissão de Microdados Enade.


Dia 15 de março: das 8h30min às 11h30min e das 13h às 16h.

Grupo B - NDEs e Coordenações dos cursos de: Arquitetura e Urbanismo, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Psicologia, Educação Física - bacharelado e licenciatura, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, e Engenharia Mecânica.


Dia 15 de março: das 16h30min às 18h30min.

Proen e Articuladores, Assessoria Pedagógica, Procurador Institucional, Articuladores Institucionais dos Grupos A e B, Articulador da Unidavi Digital e Planejamento Estratégico.


Compartilhe nas Redes Sociais